Aromas de Lisboa

O olfato não é dos meus sentidos mais desenvolvidos. No entanto guardo em minha memória olfativa algumas boas recordações, entre elas associações de cidades a determinados aromas. Lisboa, por exemplo, tem para mim um agradável cheiro, uma mistura de café, doces e coisas velhas. Não o cheiro do velho descuidado e mofado, mas o aroma das coisas antigas, vindo das pedras das ruas, dos prédios, das madeiras dos assoalhos. Cheiro do passado preservado, cheio de história. Algo como os cheiros da minha infância na casa de meus avós, na fazenda, visitando Ouro Preto. Muitos dirão que é cheiro de mofo mesmo. E junto disso a fragrância do café e do açúcar, das várias cafeterias e doçarias espalhadas pela cidade.

O aroma do Café A Brasileira, por exemplo, domina todo o Chiado e o Bairro Alto. Mesmo sabendo ser um exagerado devaneio, de fato trago na memória essa associação, contribuindo para que ache esta região das mais agradáveis de Lisboa.

Subir o morro do castelo, seja por Alfama ou pela Mouraria, também é um percurso aromático pela cidade. Alfama é mais abafada, com seus estreitos becos e passagens espremidos entre os prédios, dos mais antigos de Lisboa. Prevalecem aí as fragrâncias dos temperos, das cozinhas das casas, das roupas a secar nas cordas e janelas. Na Mouraria os espaços são mais amplos, há mais céu e mais praças, permitindo que sintamos os aromas da terra molhada, das pedras, das plantas. A meio caminho para o Castelo de São Jorge, por um lado ou por outro, chega-se ao Largo das Portas do Sol, com uma vista aberta sobre o Tejo e sobre os telhados da cidade. Aí o cheiro de mar que o rio traz, já que tão perto de sua foz se encontra.

Nas imediações da Rua das Portas de Santo Antão os característicos restaurantes que servem frutos do mar. Não me apetecem, mas estão sempre cheios. Prefiro, na mesma região, os pequenos restaurantes frequentados pelos locais e que servem a típica e simples cozinha portuguesa. Mais cheirosos, impossível.

E como doceiro que sou, não poderia deixar de falar da Pastelaria Belém, local absolutamente tentador, onde o cheiro dos pastéis recém saídos do forno, cobertos de açúcar e canela, é dos melhores do mundo.

Dá pra resistir a uma cidade como essa?

Antônio Paulo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: