Comer em Montevidéu

El Palenque, o símbolo é um peixe-espada, a comida é uma parrilla de dar água na boca. Sentados no balcão, ou no espanhol barra, com a gigantesca parrilla na frente dos olhos e ao alcance do nariz, vimos o chef parrillero, se assim for designado, preparar as carnes, os embutidos e os legumes com a intimidade de quem pratica, há anos, o ofício de grelhar e transformar o alimento. Na balbúrdia de fumaça, pessoas e aromas do Mercado del Puerto, em Montevidéu, comemos uma das melhores parrillas da viagem, e como acompanhamento morón (pimentão), e calabaza (abóbora) também grelhados e simplesmente deliciosos. A doçura de um pimentão vermelho assado é dos sabores mais prazerosos de absorver. E existe uma especialidade uruguaia chamada medio y medio, uma combinação de vinho branco e espumante que acompanha perfeitamente a orgia gastronômica do lugar.

Em Montevidéu existe outra representação culinária importante, o chivito, a contribuição uruguaia à história do sanduíche. Enorme, com filé, presunto, queijo, bacon, alface, tomate e maionese – deu água na boca só de lembrar – acompanhado de batatas fritas. Comemos em dois lugares, no Bar Hispano e na cadeia La Pasiva, que tem filial em Porto Alegre. Cada um maior que o outro.

É mesmo uma pena não conseguirmos comer e beber tudo o que nos oferecem as cidades e os países que visitamos. A gastronomia é um ótimo fator de reconhecimento de um povo, onde a cultura está presente nos temperos, na maneira de fazer e comer seus pratos.

Bom apetite!

Alex

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: