Planejando uma viagem

Seria uma viagem comemorativa em família. Paris deveria estar obrigatoriamente no roteiro. Eu não queria ir a Paris e também não dispunha de muito tempo – no máximo dez dias. O restante do grupo tinha-o disponível e planejava um percurso para uns 20 dias. Resolver esse primeiro impasse não foi difícil: faríamos todos juntos um roteiro de carro, por dez dias, por alguma região européia. Ao final, quatro viajantes seguiriam para Paris – sem o carro – e eu voltaria para o Brasil. Como o tempo seria escasso, o roteiro teria de ser bem planejado para aproveitarmos ao máximo o passeio. Queríamos um local onde pudéssemos chegar e sair pela TAP e que tivesse fácil acesso a Paris. Se a retirada e a devolução do carro fossem no mesmo país também seria vantajoso, já que devoluções em outros países costumam gerar custos extras. Outra consideração que fizemos foi a possibilidade de fazer um roteiro que contrastasse com uma semana em Paris. Já que ficariam sete dias na cosmopolita capital francesa, seria bom incluir algo mais introspectivo e rural, quem sabe. Com tudo isso em mente, optamos pela Suíça.

Iniciaríamos em Zürich e iríamos até Genebra. De lá eu partiria para Lisboa/Belo Horizonte e os outros pegariam o trem para Paris. O percurso foi pensado de forma a conhecermos um pouco de cada região do país, que, apesar de pequeno, tem muita diversidade. Fizemos um planejamento mínimo dos lugares que queríamos conhecer: cidades emblemáticas, torres com relógios, Alpes nevados, campinas verdes, vacas pastando, Edelweiss, queijos, chocolates etc. Era um roteiro base que poderia ser modificado de acordo com as descobertas locais. Quando viajo de carro, costumo reservar hotel apenas no destino de chegada. Os outros vamos procurando na medida dos deslocamentos. Assim foi feito; em Zürich ficamos no Ibis City West reservado pela internet. Durante os preparativos costumo sondar pela rede algumas possibilidades de hospedagem. É útil para verificar localização, faixa de preço, tipo de acomodações. Ajuda quando chegamos a um novo destino. Mas, de qualquer maneira, a procura do hotel faz parte da diversão da viagem. Claro que, às vezes, passa-se por dificuldades, como por exemplo, na região entre Lausanne e Genebra, onde é dificílimo encontrar vaga nos hotéis devido ao grande fluxo de turismo de negócios. No entanto, graças a essa dificuldade ficamos em um dos mais charmosos hotéis da viagem na cidadezinha de Rivaz. Aí é que está a graça da história. O carro alugado teria de ser grande, para cinco pessoas mais bagagem. Na última hora, o namorado de minha irmã que já estava na Europa, resolveu juntar-se ao grupo. Ainda bem que o carro era realmente grande e coube todo mundo. A dificuldade era apertar tanta mala no bagageiro… Foram dez dias da mais perfeita aventura.

Antônio Paulo

Anúncios
Comments
One Response to “Planejando uma viagem”
  1. Flávia disse:

    Foram dias inesquecíveis!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: