• sobre os viageiros

    Escrever sobre viagens, sobre o andar por terras a conhecer, sobre achar tudo tão diferentemente igual. Assim nasce uma vontade. Vontade compartilhada por outros, afinal são muitos os escritos sobre o deslocar no mundo. Alberto Caeiro nos conta que para além da curva da estrada, talvez haja um poço, e talvez um castelo. Vimos castelos em sua terra, não o poço. Andejar, ir de déu em déu, sonambulicamente instável, a pés e pelo, a passos largos ou divagando ao sol o viageiro recolhe impressões e, voltando ao poeta português, sente tudo excessivamente. Somos dois a viajar, dois a escrever. Duas impressões sustentadas em concordante sonoridade, ainda que eventualmente desarmônica. Somos Alex e Antônio Paulo.

Natal em Strasbourg

Conheço Strasbourg há muitos anos. Sei de sua fama como uma das capitais do Natal. Não imaginava, no entanto, a dimensão que é o evento para a cidade. São vários mercados espalhados pelas praças, largos e ruas e muita gente circulando por eles. Especialmente no último domingo antes da grande festa; era impossível andar nas … Continue lendo

Itaimbezinho

Os paredões rasgados impressionam e tiram o fôlego dos viajantes. A visão instiga a mente numa profusão de pensamentos que viajam muito além do físico. As pedras, o azul das serras a perder de vista, a falsa pequenez das araucárias que coroam a crista da falésia. Um desenho de criança. Seria possível um voo naquela … Continue lendo

Mais uma vez Tiradentes

A Serra de São José protege Tiradentes e de alguma forma deve ter contribuído para que a cidade permanecesse esquecida por algumas décadas até ser descoberta pelo turismo moderno. Uma parede de pedras e verdes que vista de qualquer ponto da cidade marca a paisagem, traz um mistério e um deslumbramento raros de se ver. … Continue lendo

Butte-aux-Cailles

No primeiro dia do ano resolvemos passear por alguma região mais afastada do centro. Foi um dos poucos dias de sol que pegamos nessa temporada. A manhã estava azul, o frio ameno, a cidade meio que ainda letárgica das comemorações do réveillon. Fomos de metrô até a Place d’Italie – lembramos nossa hospedagem de três … Continue lendo

13 rue Rambuteau

Tomar o café da manhã sem pressa na mesa da cozinha. Sair para passear sem compromisso. Andar. Ruas estreitas, praças e bulevares. Comércio intenso com muitas banalidades e lojas interessantes. Abastecer a cozinha para o jantar daquela noite, um dos melhores programas. Descobrir delícias desconhecidas; algumas inusitadas. Uma infinidade de possibilidades que para duas pessoas … Continue lendo

Paris, crepes

Comer crepes pelas ruas de Paris é muito fácil, barato e quase uma instituição para moradores e turistas. La Crêperie des Canettes (10, rue des Canettes) era o nosso foco. Citada no livro do gourmet Alex Herzog e muito conceituada na cidade, está sempre cheia e parece ser alvo de muitos viajantes. Crepes e galettes … Continue lendo

Um museu e um restaurante

Das muitas atrações que Tiradentes oferece aos seus visitantes, duas atraíram nossa atenção nessa última viagem. Recém-inaugurado e abrigado na antiga casa paroquial da Igreja Matriz, o Museu da Liturgia tem acervo distribuído nas salas do casarão cuidadosamente preparadas para tal. A coleção é pequena e merece ser visitada. Mantido pela Paróquia de Santo Antônio, … Continue lendo

Tiradentes

O conjunto arquitetônico do centro histórico de Tiradentes é muito envolvente. As casas de linhas simples em harmonia com o traçado irregular de ruas e becos. O amplo espaço do Largo das Forras com suas enormes árvore de onde partem os caminhos de lindas pedras tão românticas quanto misteriosas. Tudo isso coroado pelo esplendor da … Continue lendo

Piódão

Uma aldeia verdadeiramente afastada. Difícil acesso pela distância e pela estrada que sofre um estreitamento contínuo, lento e angustiante a ponto de acharmos que teríamos de voltar de ré quando não mais houvesse caminho pela frente. E tudo isso em vertiginoso sobe e desce pela serra, que a partir de determinado momento deixou de ter … Continue lendo

Um lugar privilegiado

Descer do avião e sentir o ar quente úmido e salgado. Em poucos minutos estar no porto aguardando a balsa para travessia do rio Buranhém rodeado por cores fortes iluminadas e realçadas pelo pôr do sol atrás do manguezal. Havia chegado a Porto Seguro e estava a caminho do Arraial d’Ajuda. Considero Ajuda um destino privilegiado. … Continue lendo